Interesse Público

segunda-feira, agosto 07, 2006

Conflito ou extermínio étnico?!


Quando vejo as notícias sobre o conflito armado no Médio Oriente, questiono-me como é possível permitir tal selvajaria em inicios do século XXI? Como é possível a ONU fechar os olhos a um conflito que já destruiu milhares de lares e famílias que viviam em paz?! Como é possível a ONU nada fazer para parar os ataques indiscriminados de Israel?! Por mais quanto tempo milhares de pessoas terão de fugir da morte?! Como é possível deixar um país ser destruido sem fazer nada ao seu maior inimigo?!

Algumas respostas, ou possíveis respostas vão surgindo à medida que a história e a guerra se vão desenrolando, se não vejamos...Se Israel fosse o Iraque, e o Hezbollah o povo Curdo, será que haveria tal passividade militar por parte dos EUA?! Será que o Conselho de Segurança da ONU demoraria tanto tempo a responder militarmente no sentido de invadir o Iraque?! Será que a tão querida "Comunidade Internacional" continuaria com a diplomacia suave e permissiva?! Tudo isto poderá querer dizer que Israel é "um aluno previlegiado"?! Ou que pelo facto de haver "judeus muito poderosos" e muito proximos do poder decisório nos EUA, faz com que a Condoleezza Rice tenha de proferir aqueles discursos de "estamos a fazer os possíveis para conseguir um cessar-fogo, mas...". E porque será que Putin ainda não "meteu o nariz", e ameaçou delicadamente o poder americano?!

Com isto não quero conspirar contra nada nem ninguém. Apenas quero transmitir que não devemos "comer" apenas aquilo que nos dão, devemos sempre tentar saber de onde vem a comida, por quem e como é confeccionada!

2 Comments:

  • A questão é que embora o Povo Curdo, desconsiderando a Turquia, não se considere um moviemento terrorista, o Hezbolah é efectivamente um movimento terrorista... Que controla um país (tanto a politica interna como a externa), embora o governo libanês seja uma espécie de "governo de unidade nacional". E devo dizer que não vi tanta exitação quando a Síria insistiu em não sair do Líbano, ainda há poucos meses atrás! A verdade é que ninguém tem mão no hezbollah (quando digo hezbollah não me refiro ao Líbano). Mas outra questão se coloca, quando os EUA invadiram o Afeganistão para o "libertar" do poder taliban a mesma questão se coloca agora no Libano. Os taliban, embora não provado, cometeram actos terroristas, e essa terá sido a razão. A questão é que foram os taliban que terminaram com uma guerra civil no interior do afeganistão que opunha as diversas facções que na altura da invasão se denominaram como a Liga do Norte. Foi uma guerra civil que vitimou mais mortes (na qual os taliban, salvo erro, não se envolveram na fase inicial) que o regime taliban. O mesmo poderá passar no Libano, como se sabe o Libano esteve 20 anos em guerra civil, com o hezbollah à mistura, estado o país neste momento estabilizado internamente. O risco é acontecer o que se passa agora no afeganistão (em menor escala) ou no iraque - uma guerra civil...
    sou como o Rebelo comento tudo (o homem até bola comentou no Campionato do Mundo).

    By Anonymous Tiago o Padrinho., at terça-feira, agosto 08, 2006 11:31:00 da manhã  

  • Gostei dos teus esclarecimentos...qualquer dia convidam-nos para comentar este tipo de assuntos no famosíssimo programa "Bom dia Guiné Bissau".
    Até posso concordar contigo em relação ao Libano, contudo no que diz respeito ao Afeganistão, o que se está a passar não deve ser apelado de Guerra Civil, mas sim de ataques continuados de uma força rebelde ou não chamada de Talibãns! Estes não interessam pois foi por eles que os EUA invadiram o Afeganistão, não referes, mas a CIA treinou os Talibans quando estes estavam em guerra com a Rússia....mas agora não há papinha para ninguém e muito por causa do Tio Bin.
    Até Já

    By Blogger Matias, at quarta-feira, agosto 09, 2006 9:45:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home